segunda-feira, junho 25, 2012

FATALIDADE (29/12/02)

    
Quantas mágoas em um só peito,quantas tristezas em um só coração
Quantas alegrias sumidas no nada,quantas vitórias lançadas ao abismo
Quantas maldades em meus pensamentos,quantas juras feitas em vão
Quantas perdas numa mesma vida,quantas derrotas por meu passimismo.

Quantas mágoas em um só peito,quantas tristezas em um só coração
Quantos delírios em meu dia a dia,quantas virtudes insignificantes
Quantas verdades que não foram ditas,quantos pecados em uma paixão
Quantas barreiras na mesma estrada,quantas palavras insinuantes.

Quantas mágoas em um só peito,quantas tristezas em um só coração
Quantas histórias infelizes,quantas tragédias em volta de um lar
Quantas frases evasivas,quantas atitudes erradas,quanto sermão
Quanta incoerência e displicência,quanto silêncio naquele jantar.

Quantas mágoas em um só peito,quantas tristezas em um só coração
Quanto aborrecimento e egoísmo,quanta fatalidade naquela noite
Quantas inimizades coletadas no tempo,quantas chantagens por um perdão
Quanta inveja naquelas pessoas,quanto tempo perdido,quanto açoite...
                       Alexsandro Menegueli Ferreira

   

Nenhum comentário:

Postar um comentário