segunda-feira, junho 25, 2012

EU QUERO,EU PEÇO,EU PERMITO (28/05/04)

   Amo tanto e não sei se é tudo                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                        
 Fora de órbita, me vejo carente e mudo
 Às vezes temo o que já antes vivi
 Em instantes cegos,amante é a lágrima que senti.

 Percebo fácil, deslizes em noites inquietas
 Tremendo lapso, errei na hora incerta
 Sei onde estar? Talvez nem saiba quem sou
 Desejo apenas seguir,para onde ninguém me falou.

Honestidade sempre.Tolice ou lei primordial?
Viver é difícil, no mar de rosas ou num vendaval
Ao nada me sinto tão bem, os malefícios estão enterrados
Seres com vida não têm,nem sombra de meu passado.

Sangro por incompetência? Ou será o destino sombrio?
Mas surge a benevolência,nela ninguém interviu
Claro amor que me doma,na vida ainda acredito
Lealdade sem muito esforço;eu quero, eu peço, eu permito.
          Alexsandro Menegueli Ferreira
 


Nenhum comentário:

Postar um comentário