segunda-feira, junho 25, 2012

CARÊNCIA (26/01/03)


Carência de um amor verdadeiro,sobrevivência ameaçada,solitário desejo
Vontade em ter carinho constante,em ter visão nítida num intenso escuro
Suficientemente perto do abismo,longínquo bastante de um perfeito beijo
As horas são intermináveis quando se está assim,um barco sem rumo,inseguro.

Carência de um amor verdadeiro, sobrevivência ameaçada,solitário desejo
Vontade em ter felicidade no rosto,em ver sinceridade no pior inimigo
Incorreta a minha história,incerta conduta e o melhor eu não vejo
Assustado sempre por pequenos barulhos,descalço no deserto escaldante,sem abrigo.

Carência de um amor verdadeiro,sobrevivência ameaçada,solitário desejo
Vontade em ter liberdade nos passos confusos,em ter mocidade num tempo infinito
Uma noite feliz eu nunca senti,nem uma companheira perfeita pra acalmar meu anceio
Querer sem obter corroe o meu peito,você e o prazer como seres distintos.

Carência de um amor verdadeiro,sobrevivência ameaçada,solitário desejo
Queria por um dia sentir em meus lábios,o néctar açucarado da mais bela flor
Andar à vontade por ruas movimentadas,sentindo prazer num simples bocejo
Mas choro do que estou sentindo,não rio há anos e desconheço o amor.
           Alexsandro Menegueli Ferreira

Nenhum comentário:

Postar um comentário