segunda-feira, junho 25, 2012

PARAÍSO (17/09/03)

O vento sopra baixinho na varanda de minha casa
Trazendo consigo o frio suave em que me afundo
E o dia começa perfeito com a confiança que arrasa,
A imperfeição em meu peito,a inquietação de meu mundo.

Os afazeres enchem-se de uma alegria sem igual
Invadindo os esquecidos cantos há muito abandonados
Devolve a certeza sem prantos,e afronta com força colossal,
A delinquência da tristeza,a infelicidade de meu passado.

A porta abre contente,e móstra-me uma linda manhã de inverno
Com a névoa que teima em cair mansa sobre o meu quintal                                                                        Cobrindo o telhado e jardim florido e pequeno
Enchendo os meus olhos de entusiasmo sem igual.

E tranquila minha alma em noite fria me acalma
Conectada ao meu corpo,direciona-me sem argumentos
E em paz comigo renasço literalmente das cinzas
Crio asas em meus sonhos,vôo livre em pensamentos.
     Alexsandro Menegueli Ferreira

Nenhum comentário:

Postar um comentário