sábado, março 30, 2013

TONS ACINZENTADOS (09/03/2013)


Lua obscura num céu de acinzentados tons
Nuvens confusas em meio a estridentes sons,
nascidos em temporais nas tardes deprimíveis.
Fúria intensa do mar em ondas gigantescas
Simplórios barcos engolidos por tempestades grotescas
Alvoroço das tristezas em horizontes bem visíveis.

Árvores abandonadas com as raízes deploráveis
Passos inseguros por caminhos inabitáveis
Flores sem as suas pétalas em um jardim morto.
Famílias abandonadas com dilacerantes feridas
Olhos sem nenhum brilho em noites mal dormidas
Sorrisos indiferentes em semblante absorto.

Paredes rabiscadas pelas mãos imaginárias
Temores em minha mente por vozes ordinárias
transitam à vontade nas madrugadas depressivas.
Imerso a um pântano de almas sofredoras
Inconsciente aturdido nas encardidas masmorras
Vôo sem direção sobre as estradas evasivas.

Alvejado por melancolias assassinas e noturnas
Sufocado por mentiras em bocas infortunas
Sangro abruptamente por um imenso corte.
Medo em meus olhos pequenos e aflitos
Dor indiferente aos meus enormes gritos
Ando em escuridões contempladas pela morte.
     http://alexmenegueli.blogspot.com.br/

Um comentário:

  1. Belíssimo poema. Palavras fortes. Pensamentos obscuros em noites mal dormidas. Dor intensa e sentida.
    Beijo

    ResponderExcluir