segunda-feira, junho 25, 2012

AMOR VERDADEIRO (16/04/04)


As águas cristalinas refletiam na imensidão
E os vastos desencontros se entenderam por acaso
Os fracassos eram muitos por séculos e séculos
E a frieza do destino me assediava desde então.

As loucuras em minha mente castigávam-me sem pudor
E a incredulidade em minha alma assassináva-me aos poucos
Os delírios na minha vida eram muitos e incontáveis
E corroia toda a estrutura de um ser em desamor.

Talvez um dia o desespero saia pela porta entre-aberta
E as garras assassinas percam suas forças
Me libertando dessa escrupulosidade horrenda
E delineando o meu caminho a uma paixão concreta.

Hoje não me incomoda as cicatrizes daquela ferida
Nem a agonia que perpetuava num coração gélido
Se desenterrou o amor que antes vivia no calvário
Porque enxerguei em você o sentido de minha vida.
          Alexsandro Menegueli Ferreira

Nenhum comentário:

Postar um comentário