segunda-feira, novembro 10, 2014

UM MERGULHO NA ESCURIDÃO- 20/10/2014

Estou abandonando a embarcação nesse exato momento. Pode até parecer covardia de minha parte, mas aquela força estranha de outrora surgiu com força colossal, e enfim: conseguiu acabar com o último resquício de esperança que ainda insistia em habitar em mim. Aos olhos alheios, tudo isso que está prestes a se concretizar parecerá loucura, mas não sabem eles o quão doloroso é viver enclausurado em seu próprio mundo. Esse pensamento jamais rondou a minha mente desde àquele ano depressivo, e agora volta disposto a me ceifar a vida. E essa partida, que se desenha com feições reais à minha frente, será altamente dolorosa para os que realmente me amam. E eu, o que espero de tudo isso? Absolutamente nada!

Nenhum comentário:

Postar um comentário