sexta-feira, fevereiro 08, 2013

RUAS DA LOUCURA (08/02/2013)


Tremores indecifráveis sacudiam as poucas árvores enfileiradas nas infinitas e familiares ruas da loucura
A ventania endiabrada trazia em seus longos braços, um nevoeiro angustiado repleto de crueldade
De repente apareci nesse recanto insólito e perturbador, tudo em questão de segundos talvez
Corri feito um louco por dentro do matagal baixo e cortante, almejando demasiadamente a liberdade.

Tremores indecifráveis sacudiam as poucas árvores enfileiradas nas infinitas e familiares ruas da loucura
Os corvos com olhos de fogo desciam abruptamente em direção à minha cabeça perdida e confusa
Mas automaticamente sumiam como por encanto ao chegarem aos galhos mais robustos e distantes
Dando lugar à terrível e voraz coruja negra, que invadia a minha abandonada mente como uma infernal intrusa.

Tremores indecifráveis sacudiam as poucas árvores enfileiradas nas infinitas e familiares ruas da loucura
Rostos desfigurados surgiam nos caules com expressões depressivas e infinitamente enlouquecedoras
As suas bocas pálidas e pútridas chamavam incessantemente pelo meu nome em gritos agonizantes
Imploravam para que eu abandonasse a minha família, e seguisse através das incontáveis raízes acolhedoras.

Tremores indecifráveis sacudiam as poucas árvores enfileiradas nas infinitas e familiares ruas da loucura
Chorando lágrimas incontroláveis, eu avistava acerca de mim demônios às gargalhadas, anjos com chifres de ouro
De joelhos no chão de terra avermelhada pelo sangue que jorrava à vontade, não suportei tamanha opressão
Peguei a corda surrada que surgira à minha frente, enforquei- me para escapar dessas visões dilacerantes...

... Abri os olhos em um mundo totalmente cinza, e observei sentado em seu magnífico e imponente trono:
Uma aberração de corpo hercúleo a devorar um jovem rapaz em um instante duradouro.
                                                      http://alexmenegueli.blogspot.com.br/ 

Nenhum comentário:

Postar um comentário